Humanos

Em tempos de tantas desventuras políticas, contaminantes desesperanças e previsões não tão animadoras para os próximos anos dentro e fora do Brasil, há motivos para comemorarmos mais um aniversário da Declaração Universal dos Direitos Humanos da ONU?

Por que celebrar um documento de ideias tão bonitas, mas que tardam em se tornarem plena realidade? Por que recordar as palavras que deram origem ao conceito moderno de Direitos Humanos, algo tão surrado por nossas disputas facebookianas de que não basta ser humano para ter direitos?

Celebrar é não esquecer. Não esquecer que já nos encontramos durante a 2a Guerra Mundial com o lado mais sombrio de nós mesmos e resolvemos que não seguiríamos pelos caminhos do terror, da miséria e da opressão; não esquecer que nascemos livres e iguais para viver e amar, também as mulheres, os gays, as trans e até aquele seu vizinho coxinha ou petralha; não esquecer que podemos desenvolver nossa razão e consciência para respeitar nossas belas e ricas diferenças, agindo sempre, ainda que em posições divergentes, com espírito dialógico e de fraternidade.

Recordar é acordar de novo em nossos corações a força criadora que as palavras têm de antever os novos mundos sem escravidão, torturas ou tratamentos cruéis; é acordar em nós outras realidades, nas quais haja saúde, educação e cultura para todas as pessoas independentemente de suas condições; é registrar, ainda que em um papel no dia 10 de dezembro de 1948, as intenções e esforços de inúmeras pessoas por uma comunidade universal com mais liberdade, justiça e paz para todas e todos da nossa grande e caleidoscópica família humana.

Portanto, celebremos e recordemos, com o emocionante filme ‘Humano  – uma viagem pela vida’ de Yann Arthurs-Bertrand, a Declaração Universal dos Direitos Humanos para resistir às ondas de violência e intolerância, renovando em nós a esperança por outros mundos possíveis, onde finalmente reconheçamos o fato de sermos apenas e impressionantemente humanos.

Leia mais sobre a Declaração Universal dos Direitos Humanos: http://www.dudh.org.br

 

HUMANO Uma Viajem Pela Vida VOL.1 (Dir:Yann Arthus-Bertrand)
Documentário| 83 minutos | O que nos torna humanos? Será por que amamos, por que brigamos? Por que rimos? Choramos? Nossa curiosidade? A busca pela descoberta?
Movido por essas questões, o produtor e artista Yann Arthus-Bertrand passou três anos coletando histórias reais de 2000 mulheres e homens em 60 países. Trabalhando com um dedicado time de tradutores, jornalistas e câmeras, Yann capturou profundas causas pessoais e emocionais que unem todos nós; dificuldades com pobreza, guerras, homofobia e o futuro do planeta mesclados com momentos de amor e felicidade.

play-human